quinta-feira, março 09, 2006

Como era bom...

Hoje deixo-vos uma lista de coisas que fazia quando era jovem, que recebi em "powerpoint", via mail da Papoilasaltitante, mas como a minha sapiência ainda não chega para conseguir colocar aqui nesse formato, vai mesmo assim.

Música de Humanos - Muda de vida



Powered by Castpost



Você que teve a sua infância nos anos 60/70/80 como pôde sobreviver?

Afinal de contas

1. Os carros não tinham cintos de segurança, apoios de cabeça nem airbags,
2. As camas de grades e os brinquedos eram multicolores e no mínimo pintados com umas tintas “duvidosas” contendo chumbo ou outro veneno qualquer.
3. Andávamos de bicicleta para cá e para lá sem capacete;
4. Bebíamos água da torneira, da mangueira, ou da fonte e não águas minerais em garrafas esterilizadas;
5. Construíamos carrinhos de rolamentos e descíamos as ruas, tentávamos bater records de velocidade e usávamos a sola dos sapatos como travões…
Alguns acidentes depois… Todos esses problemas estavam resolvidos;
6. Íamos brincar para a rua com a única condição de voltarmos para casa antes de anoitecer… Não havia telemóveis e os nossos Pais não sabiam onde estávamos. Incrível!
7. Tínhamos aulas só de manhã ou de tarde , almoçávamos em casa;
8. Gessos, dentes partidos, joelhos esfolados… Alguém se queixava disso? Todos tinham razão menos nós.
9. Comíamos doces à vontade, pão com manteiga, bebidas com o (perigoso) açúcar. Não se falava em obesidade, brincávamos sempre na rua e éramos super activos…
10. Dividíamos a coca-cola comprada na tasca da esquina, golo a golo e nunca ninguém morreu por isso…
11. Nada de Playstations, Nintendo 64, X Box, Jogos de vídeo, satélites, videocassetes, DVD, dobly surround, telemóvel, computador, chats ou internetSÓ AMIGOS!
12. E os nossos cães? Lembram-se? Nada de ração, comiam a mesma comida que nós (muitas vezes os restos) e sem problema nenhum. Banho quente? Champô? Nada, no quintal, um segurava no cão e o outro com a mangueira (água fria) ía deitando a água e esfregando com sabão (em barra) de lavar a roupa! Algum cão morreu ou adoeceu por causa disso?
13. A pé de bicicleta íamos a casa dos nossos amigos mesmo que morassem a KMs da nossa casa… Entrávamos sem bater e íamos brincar.
14. Jogávamos futebol na rua com as balizas marcadas com pedras, basquetebol nos ramos das árvores e não era o “fim do mundo”
15. Na escola havia bons e maus alunos, uns passavam outros reprovavam. Ninguém ía por isso a um psicólogo ou psicoterapeuta. Não havia a “moda “ dos sobredotados, nem se falava em dislexia, problemas de concentração ou hiperactividade. Quem não passava , simplesmente repetia o ano e tentava de novo no ano seguinte.
16. Tínhamos Liberdade, fracassos, sucessos, deveres de casa… e aprendíamos a lidar com cada um deles!
A única e verdadeira questão é: como é que conseguimos sobreviver?
E acima de tudo como conseguimos desenvolver a nossa personalidade?
Se também és dessa geração, então mostra isto aos teus filhos , sobrinhos, amigos, para que eles saibam como era no nosso tempo!!!
Sem dúvida vão responder que era uma CHATICE, mas
Como éramos felizes!!! Hein?

Não sei quem foi o autor desta belíssima colecção de boas recordações da minha infância e juventude, se o descobrirem , agradeçam por mim.

<"De sua justiça">

16 Comments:

At 12:02 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Concordo contigo; não sei mesmo como sobrevivemos!
Quanto às crianças de hoje não vão achar possível ter-se sido feliz com uma vida tão "monotona e chata"! Mas a verdade é que eramos realmente felizes. Será que é possível eles mudarem de vida a fim de o serem também!?
Bjs Lena

 
At 12:20 da manhã, Blogger Caracolinha said...

Ler isto é fechar os olhos e ser incapaz de parar de sorrir ...

Beijoquinha encaracolada :))))

 
At 12:38 da manhã, Blogger Kamikaze said...

Ó Teresa,(Sim, sou mesmo eu!)

É claro que o Oscar(ali de baixo) é imerecido, tanto mais quanto, e não me canso de o afirmar, o meu Banzai é um autêntico atentado! Depois, como se não bastasse, estou cheio de trabalho(não, não é só desse!) e tem-me sido completamente impossível visitar todos os blogues da malta amiga, para deixar o comentário da ordem. Certamente que me seria possível visitar alguns de vós, mas isso seria injusto para os outros (não contemplados) e, assim, tenho optado por não abrir excepções, embora dê as minhas voltas por aí e por aqui, claro! Já o disse, e reafirmo, paguem-se da mesma moeda, não me visitando. Confesso que já pensei em fechar os comentários, contudo... É ponto assente que, enquanto não endireitar as coisas, vou-me limitar a postar, diariamente, o que quer que seja, sem compromisso de espécie alguma!
Last but not least, gostaria de agradecer toda a tua simpatia, o teu carinho, a tua cumplicidade e a tua persistência (que mau gosto, rapariga!), pelas tuas visitas diárias(e isso... eu mantenho controlado!) ao Banzai. Sempre gentil, com comentários pertinentes e inteligentes (o que eu muito aprecio!). Quanto ao... conhaque, falamos depois. Mas aviso-te já que tenho uma agenda bastante ocupada!

Um beijo enorme para ti, Tété!

P.S. – Sem mais, nem porquê, este comentário virou post no Banzai.

 
At 2:10 da manhã, Blogger PiresF said...

Vá-se lá saber, por que artes mágicas cheguei aqui vivo.

 
At 10:04 da manhã, Blogger Carlota said...

Se estamos ainda vivos, é porque éramos (e somos!) muito resistentes! E mais felizes do que as crianças de hoje em dia, eu diria. Senão, pelo menos mais saudáveis!
Beijola

 
At 10:09 da manhã, Blogger Madalena said...

Um beijinho Teresa. Eu também já recebi. Várias vezes!!! É verdade. Mas atmbém é verdade que não há volta a dar aos medos que nos assaltam quanto toca aos nossos filhos! Beijinhos para ti e obrigada pelos Humanos!!!

 
At 10:31 da manhã, Blogger papoilasaltitante said...

Já comentei contigo pessoalmente este post... acho sinceramente que eramos muito felizes e realmente penso que andamos em constante paranoía... Não tinhamos aulas de substituição e aproveitávamos para conviver uns com os outros! Para jogar à bola e subir a árvores...
Agora temos os filhos quase "engaiolados" nas escolas e em casa!!
Os perigos são outros, claro que são, mas estamos a cortar-lhes as pernas e a torná-los cada vez mais dependentes de nós!! Depois admiramo-nos deles estarem em nossa casa até aos 29 ou 30 anos... e de apanharem depressões quando têm que enfrentar sozinhos uma cidade grande!!

 
At 12:58 da tarde, Blogger a lice said...

É tão bom recordar!

As memórias aquecem-nos! Ainda mais quando são boas!:)

Beijinhos.

 
At 2:30 da tarde, Blogger O Quebra-Costas said...

"8. Gessos, dentes partidos, joelhos esfolados… Alguém se queixava disso?"

Apesar deste ponto não nos ter deixado lá muito boas recordações..obrigado por nos relembrares d'algumas aventuras dos nossos tempos de criança :)

Bj d'A Cabra

 
At 4:00 da tarde, Blogger Pitucha said...

E os pais que nos deixavam ir para a rua horas a fio...
Éramos mesmo bandos de putos à solta.
Outros tempos.
Beijos

 
At 5:06 da tarde, Blogger Janeca said...

Grande post. Escravos do progresso e no medo. E quem tem medo compra.

 
At 5:17 da tarde, Blogger xá-das-5 said...

;)
Um puto de hoje retratará a sua infância daqui a 20 anos deste modo:

Prontos ppl! Lembramçe das jugatinaz? Ahi que grandes jugatinaz. Qdo murdi a Sara Andreia decubrei que o secho era uma cena altamente. Tinha prái uns 12 anitus. Ela ums dés.
Noum pesquei purke karga dágua u meu cota me tirô a mezada e me mandou trabukar aos desóito anus. Diçeme keu era um fdp e um mandriaum.
Mas licheio bén.
Já fis o meu pirmeiro milham çe bem k na drogra e na pustrituissão.
Maz tô rico. E mai nada.
Próps pró ppl!.
Tásse!

 
At 7:20 da tarde, Anonymous Ni said...

eh!eh!eh! para o comentário do xá-das-5...quanto ao post já conhecia, mas é mesmo verdade...eu tinha que estar em casa quando tocassem as trindades"Por volta das 19 horas" no sino da Igreja da minha terra,até lá correr,saltar,jogar,brincar...Bons tempos!!!

 
At 8:06 da tarde, Blogger Wakewinha said...

Sabes, o problema é que nos vendem tudo como verdades absolutas, e como bons portugueses que somos, não questionamos nada, e está sempre tudo bem! Aliás, a nossa frase preferida é: «podia ser pior»! =S
Eu ainda faço muitas coisas das que aí dizes, e estou bem de saúde. Aliás, aprendi em menos de 3 décadas de existência, que podemos nós tomar as nossas conclusões, em vez de engolir as que nos querem fazer comprar...
Tomara que todos tivessem a coragem de ousar... ;)
Um beijinho e... porque não recordar através da personificação? =P

 
At 10:52 da tarde, Blogger Mocho Falante said...

ai que saudades....

Agora de momentos voei até a uns anos lá atras

obrigado

 
At 11:28 da tarde, Blogger Laura Lara said...

Como é bom recordar. E tanto mais há a acrescentar à lista...
Beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home