segunda-feira, maio 29, 2006

Ai Timor


TIMOR

Não entendo. Desconfio.
Tenho pena deste povo.
Sofreu.
Tornou-se independente.
Sofre.
Interesses? Sim, claro.
Ajuda? Bem precisam. De quem? De Portugal, pedem eles.
Como é possível destruírem o que é deles e ainda há pouco foi reconstruído por eles.
Maldade?
Interesses? Sim, claro.
Sempre em fuga!
Sempre com medo!
Com fome!
Será isto viver? Sobreviver? Resistir? Desistir?
Golpe de Estado?
Guerra, Este X Oeste?
Interesses? Sim, claro.
Não entendo. Desconfio.
Ainda se lembram? 1999?
Eu sim!
Outra vez? Não!

Música de TROVANTE - Timor

Powered by Castpost

Lavam-se os olhos
Nega-se o beijo
Do labirinto
Escolhe-se o mar
No cais deserto
Fica o desejo
Da terra quente
Por conquistar

Nobre soldado
Que vens senhor
Por sobre as asas
Do teu dragão
Beijas os corpos
No chão queimado
Nunca serás
O nosso perdão

Ai Timor
Calam-se as vozes
Dos teus avós
Ai Timor
Se outros calam
Cantemos nós

Salgas de ventres
Que não tiveste
Ceifando os filhos
Que não são teus
Nobre soldado
Nunca sonhaste
Ver uma espada
Na mão de Deus

Da cruz se faz
Uma lança em chama
Que sangra o céu
No sol do meio-dia
Do meio dos corpos
A mesma lama
Leito final
Onde o amor nascia

<"De sua justiça">

25 Comments:

At 12:58 da manhã, Blogger Miudaaa said...

Uma Vida em Sofrimento Contínuo!
Uma Prova de Resistência Morosa demais, na minha opinião.

 
At 1:40 da manhã, Anonymous IO said...

Ai Timor, cheio de primatas tão iguais a todos os que há ao cimo da Terra!... - uff!, ainda bem que Moçambique não tem petróleo...

 
At 8:14 da manhã, Blogger Pitucha said...

Eu ainda não percebi bem o que se passa em Timor! Qual é causa de tudo! Quem sao os bons e quem são os maus!
Beijos

 
At 9:07 da manhã, Blogger 125_azul said...

Já voltaste à África nossa depois do adeus? Não é exactamente como Timor, mas cada um à sua maneira tem tido doses sistemáticas de reconstrução desconstruida... Beijinho muito triste.

 
At 10:18 da manhã, Blogger Cherry Blossom Girl said...

Só espero que não se repita... Foi muito triste:(

***

 
At 10:40 da manhã, Blogger jawaa said...

Portugal parece que foi um pai muito permissivo, não soube educar nenhum dos seus filhos, não os soube tornar autónomos. São uns povos sofridos... que dores, que mágoas, que angústias repetidas...

 
At 12:03 da tarde, Anonymous IO said...

Portugal, a ter sido 'pai', e a expressão não é minha, é tua, jawaa, foi tirano: já que aos 'amados' filhos proibiu a educação (93& de analfabetos em Moçambique, em 1975, pior ainda em Timor, imagino, já que, para lá, os portugueses iam de 'castigo', do 'pai', claro!...).
Por algum motivo, a total falta de capacidade seja para o que for, este país não passa da cauda da Europa, mesmo apesar dos milhões que a CEE/UE lhe deu para andar para a frente... 'permissivo?'... deixa-me rir!...

 
At 12:05 da tarde, Blogger francis said...

Ao ver aquelas imagens de violência e destruíção sinto-me invadido por uma profunda tristeza.
O povo timorense não o merecia...

 
At 12:46 da tarde, Blogger a lice said...

Temo pelo futuro deste país...:(

 
At 2:32 da tarde, Blogger papoilasaltitante said...

Claro que lembramos ... e de uma forma bem triste...
Interesses... sempre os interesses...
É muito triste!
:((

 
At 2:38 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Lindo texto!
E como já aqui foi dito, o povo timorense não merece de certeza voltar aos tempos do sofrimento e da dor.
Esperemos não ter de voltar outra vez aos cordões humanos e campanhas de solidariedade para que a PAZ regresse aquele País ainda tão jovem. "Outra vez não"!
Bjs Lena

 
At 5:23 da tarde, Blogger Rosa said...

:(

 
At 5:58 da tarde, Blogger jorgesteves said...

pudera eu dizer aquela palavra antiga: amiga!
gentes sem medo a poente
as flores desfolhadas aos ventos
que lhes levam a cobardia do mundo.
Timor é uma terra natal adiada,
num cemitério com vista para o mar!
1999


amizade,
jorgesteves

 
At 8:11 da tarde, Anonymous MB said...

Bom, aqui há alguns anos, a culpa era dos indonésios que eram maus e bárbaros e tal... Hoje, a culpa é dos Portugueses que não os educaram(só enviámos para lá uns milhões de euros, professores, material pagos tb com os meus impostos...) e etc...
E depois? Pode ser que sejam os Americanos, pelo petroleo, ou os da Papua por prazer.
Estas questões são muito mais simples do que a complexidade que lhes queres associar.
Se em 1975 a quase totalidade da população era lá analfabeta, tb em Portugal o era. E não foi por isso que não saímos das disputas tribais.
Enquanto no 3º mundo a mentalidade das pessoas estiver focada apenas no poder e no querer estar acima dos outros nunca sairão deste mesmo estado, 3º mundista!

 
At 10:10 da tarde, Anonymous IO said...

mb, nunca em nenhum dos dois comentários que aqui deixei, acusei o colonialismo português de estar (directamente) envolvido nesta crise.
O que contestei, veementemente, é o uso de 'pai' para a antiga potência colonial, o verbo 'educar' no relacionamento entre Portugal e os povos das ex-colónias, que foram muito pouco tratados como 'filhos'. Trate de se informar sobre o que foi o colonialismo português, antes de se exaltar.
Timor nesta crise?, uma total irresponsabilidade dos seus dirigentes (quase todos) e a prostituição anexa à 'guerra' pelo petróleo - IO.

 
At 10:50 da tarde, Blogger marakoka said...

"Não entendo. Desconfio"

...pois é...desconfio....
entendo...interesses..vários....

jocas maradas

 
At 10:53 da tarde, Blogger Armando S. Sousa said...

É com profunda tristeza que assisto ao desenrolar dos acontecimentos em Timor-Leste.
Muito

 
At 11:04 da tarde, Anonymous mb said...

io, não me exaltei nem quiz de maneira nenhuma contestar qualquer uma das opiniões aqui presentes. Apenas tentei dizer um pouco daquilo que penso. Peço desculpas se me fiz entender mal...

 
At 11:14 da tarde, Anonymous Daniela Mann said...

Em relação à informação que me enviaste ontem, só te posso dizer que ando com vontade de investir ainda mais na minha educação para me canalizar para uma área diferente! Não me vejo nesta carreira por muito mais tempo. Sou professora por opção e porque gosto do que faço, mas não tolero mais abusos! Sabes que hoje, tive uma reunião e falava-se na hipótese de não recebermos o subsidio de natal para o ano?
Beijinhos

 
At 11:26 da tarde, Blogger jawaa said...

Parece que te sentiste ofendida, IO, mas fica sabendo que eu também nasci em Angola e lá vivi a primeira metade da minha vida (uma parte já professora). Pai permissivo foi, claro, uma metáfora, quando muito padrasto.Permissivo sim, pela descolonização miserável que fez, entregando Angola completamente aos cães em nome de interesses que não quero aqui discutir.(Já agora, que eu saiba, Timor foi literalmente abandonado, era muito+urgente «organizar» este cantinho da Europa!) Antes tivesse sido um pai tirano, alfabetizando à força com a língua portuguesa para que aos moçambicanos por exemplo não passasse pela cabeça aderirem à Commonwealth...

 
At 11:54 da tarde, Anonymous IO said...

Olá, bom, permissivo não joga de todo com tirano, desculpem... - abraço aos dois, jawaa e mb.

Pois é, jawaa, não é para esta crise (directamente) chamado, mas se houve erros em 74/75, o que chamar a quem subjugou, recusando-se a acompanhar os ventos da História, tantos povos nos 48 anos que se seguiram a 28 de Maio de 1926, obrigando uma geração a ir para a guerra, etc?... E o aprender à força (divertido) garanto que não resulta (eu fiz por me esquecer de todas as estações de comboio cá do rectângulo, onde jamis tinha posto os pés, isso queriam que soubesse, à força - esqueceram-se, foi, de me ensinar Moçambique, até 75...). Mas os tiranos, que não foram nada permissivos!, precisavam de analfabetos para lhes manter o império... Passou, viva o 25 de Abril!, mas nada de branquear o colonial-fascismo (e foi aqui que me exaltei)!!

Oxalá Timor tome juízo, mas a verdade é que os homens lá, para o bem e para o mal, não são diferentes dos outros ao cimo da Terra.

 
At 2:33 da manhã, Blogger lince said...

Digo apenas “ TIMOR “.

 
At 2:31 da tarde, Blogger jawaa said...

Retribuo o abraço, IO, unidas pelo 25 de Abril, pela Liberdade, principalmente para nós, mulheres! No 1º comentário, quis ser «poeta» a escrever, não quis defender nem ofender ninguém. A História julgará os Homens em tempo e espaço próprios, 75 está ainda muito próximo. Andando um pouco mais para trás, terá sido lícito demarcarem Angola a régua e esquadro? Não sou da área, mas a História é construída sobre os erros e os êxitos dos Homens e por isso é interessante investigá-la pondo em causa tudo, sob perspectivas diferentes.

 
At 4:22 da tarde, Anonymous IO said...

Abraço, IO.

 
At 11:58 da manhã, Anonymous IO said...

Voltei... mb, talvez isto te ajude a entender a 'permissividade' do 'pai':
http://www.companhiademocambique.blogspot.com/2003_10_01_companhiademocambique_archive.html

 

Enviar um comentário

<< Home