terça-feira, maio 02, 2006

Fronteiras abertas!

Música dos GNR - Portugal na CEE

Powered by Castpost

Olha a invasão!!!!
Agora Portugal abriu as fronteiras aos trabalhadores dos novos Estados da UE.
Assim como aconteceu no Reino Unido, Suécia e Republica da Irlanda, agora Portugal, Espanha e Finlândia abriram as suas portas de par em par aos novos trabalhadores da Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, República Checa, Malta e Chipre.
Pois acho muito bem, como cá até há emprego para todos a taxa de desempregados é nula, até falta é mão de obra, porque não aceitar quem vem de fora.
Não sou xenófoba, mas convenhamos que não estamos na melhor das situações para que isso aconteça. E até já estou a ver que a invasão venha toda cá parar, senão vejamos.
País com melhor clima, Portugal.
País com vida mais barata, Portugal.
País sem conflitos politico – sociais, Portugal.
País onde se prefere a mão de obra mais barata e menos qualificada, Portugal.
País onde se dá preferência ao que vem de fora em detrimento do Nacional, Portugal.

Mas não acaba aqui. Ainda vão receber formação para serem integrados no mercado Nacional.
Ora houve muito desempregado que se inscreveu na bendita formação para ficar mais qualificado e se calhar conseguir mais emprego, e que ao fim de horas dispendidas em formação o que conseguiu foi só a diferença na resposta nas procuras de emprego:
“Qualificação a mais”. Só mesmo por cá.
Mas ainda por cima vão criar bolsas de emprego específicas para eles.
«O nosso objectivo último é criar uma bolsa de emprego específica para imigrantes de Leste, à qual as empresas portuguesas possam recorrer quando precisarem de contratar alguém», explicou à Agência Lusa João Almeida Garrett, director do projecto.

<"De sua justiça">

18 Comments:

At 12:10 da manhã, Blogger papoilasaltitante said...

Pois é minha amiga!!! Só mesmo por cá. Nós que sempre fomos uma país que deu emigrantes ao mundo...estamos agora a recebê-los.
Se isto fosse sinal de que eramos um país desenvolvido...
mas pronto é como tu mesma dizes este país não existe, mandam as pessoas tirar formação e depois não têm emprego porque têm qualificação a mais... No entanto no Canadá parece que somos mão de obra qualificada!
Não há explicação!
Aguardemos mais uma invasão!
Bjs

 
At 12:21 da manhã, Blogger amigona said...

É, isto é mesmo muito complicado... fica bem amiga!

 
At 12:26 da manhã, Anonymous Dra.Daniela Mann said...

O teu post não podia ser mais pertinente! Penso exactamente como tu! Isto ainda vai sobrar para nós e de que maneira!
Beijinhos

 
At 12:42 da manhã, Blogger IO said...

Vou fingir que não li o que escreveste, TT!... Sabes que não há quem queira trabalhar com as mãos? - estes parolos cá de dentro só querem é secretária, consulta as profissões em que a oferta e a procura não se equilibram!...
Foi a grande asneira do 25 de Abril: acabar com as escolas que formavam técnicos intermédios. Acho muito bem, se nós podemos investir lá, eles podem trabalhar cá. E na Irlanda, Suécia, Inglaterra, etc... o que há e bem são polacos, checos e húngaros, ou seja membros da UE de pleno direito que, inexplicavelmente, tiveram que esperar dois anos pela livre-circulação...

Beijo, uma que se lembra bem o que são fronteiras fechadas (e por acaso faz estatísticas de emprego, sei o que digo).

 
At 8:20 da manhã, Blogger Pitucha said...

Não Teresa, não se pode pensar assim!
De qualquer maneira, não te procupes que as estatísticas estão cansadas de dizer que, a não ser por circunstâncias muito especiais (guerra, por ex.) a maior parte das pessoas não está numa de deixar país, família, amigos e tutti quanti!
(Recordo que também nós tivemos um período de transição na altura da nossa adesão à CEE porque a França, nomeadamente, achava que nós iríamos fechar o país e partir para Paris!...).
Beijos

 
At 12:57 da tarde, Blogger a lice said...

Não vejo as coisas assim! Não há invasão, a partir do momento em que Portugal recebe pessoas com vontade de trabalhar, qualificadas, prontas para fazer o que os doutores portugueses não querem fazer...

 
At 1:10 da tarde, Blogger dakidali said...

Gostei dos vossos comentários. Não sou contra a vinda de emigrantes trabalhadores, também nós Portugueses emigramos, mas parece-me que o País não está em condições de receber muita gente de fora. Vejam o que se passa com as pessoas de Leste que vieram para cá já há uns anos. A minha intenção neste post foi mesmo essa picar. Gosto de saber e aprender com quem sabe mais que eu. Obrigado pela vossa participação. Este assunto dava pano para mangas, como se costuma dizer.
Beijinhos a todas.
Papoila
Amigona
Dra Daniela
IO
Pitucha
A lice

 
At 2:13 da tarde, Blogger boleia said...

ora, eu de emiragacao nao posso falar... nadica de nada! Mas posso dizer que concordo com a io: ja ninguem quer sujar as maos. Por isso os que as sujam fazem-se pagar bem! e acho muito bem!
beijinhos

p.s> Adoro essa musica!

 
At 2:32 da tarde, Anonymous MB said...

Concordo plenamente contigo TT.
Infelizmente TT, este é um assunto no qual se pode pensar mas sobre o qual não se pode conversar, pois aparecem logo os pseudo-intelectuais moralistas em sua defesa chamando xenófobos a todos os que pensam diferente.
Na realidade se o país tivesse condições para acolher de forma aberta estes emigrantes, não teríamos então os problemas que estamos a ter com os Romenos e outros demais emigrantes de leste, que têm estado constantemente a ser associados a actividades criminosas. Isto, por não terem conseguido realizar cá qualquer um dos seus sonhos.
Não sou xenófobo nem partilho de quaisquer ideias desse tipo e sou um grande apoiante das políticas sociais adaptadas, claro está, à realidade de cada país. Vejamos o caso da França, que tudo fez para bem receber os emigrantes, que todo o apoio prestou, e os problemas que estão a ter. Também eles eram grandes apoioantes da emigração. Eram... Mas rapidamente mudaram de posição.
De realçar também o facto de o mercado de trabalho estar a ser destruído e consequentemente o nosso nível salarial. Se trabalhámos tanto tempo para termos um mercado competitivo e especializado, que começou nos últimos anos a valorizar a especialização e o profissionalismo, e com subidas salariais significativas de modo a fixar recursos, depressa estamos a entrar num mercado onde pessoas vêm de fora para trabalhar a qualquer preço e a competir por salários cada vez mais baixos.
São estes os problemas de políticas de emigração à europeia. Não se trata de racismo, xenofobia ou outras coisas do género. Trata-se da protecção de todos os cidadão, mesmo os de fora que acabam também por ser afectados.

 
At 7:43 da tarde, Blogger francis said...

Infelizmente, estás certa em tudo o que dizes.
Faço um aparte aos conflitos sociais; É verdade que não existem. mas vão existir num futuro muito próximo.
Esta da formação especifica para emigrantes de Leste é hilariante. Afinal quem queremos enganar? Nós nem somos capazes de resolver os problemas do NOSSO desemprego!!!
É país é uma caldeira.

 
At 8:13 da tarde, Blogger 125_azul said...

Eu não sei onde descobres estas notícias que me dão formigueiro quando leio. IRRA!

 
At 9:19 da tarde, Blogger marakoka said...

estou contigo. gostei de ler.te
jocas maradas

 
At 9:48 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Pois também concordo com o que dizes. E o mais grave é que as coisas estão a mudar: o clima já não é o que era, a vida está a ficar, apesar de tudo, bem mais cara e os conflitos, sobretudo sociais, já estiveram bem mais longe de acontecerem.
Mas como somos um povo reconhecidamente hospitaleiro veremos no que dá esta abertura de fronteiras.
Bjs Lena

 
At 10:29 da tarde, Anonymous IO said...

Oh, mb, esta é hilariante:
"Vejamos o caso da França, que tudo fez para bem receber os emigrantes, que todo o apoio prestou, e os problemas que estão a ter. Também eles eram grandes apoiantes da emigração".

Tudo fez?... 'bidonvilles' aos de 60, como os nosses lusos 'avecs', & blocos de cimento, convenientemente separados do resto da população e sem infrastruturas de apoio, aos que por lá foram crescendo, a 'escumalha' como lhe chamou um ministro... - 'pseudo-intelectual' que, antes de ser 'dra.', foi imigrante clandestina em França e na Suiça.

 
At 9:27 da manhã, Anonymous MB said...

As "bidonvilles" foram criadas pelos recém chegados emigrates que foram todos realojados de seguida. Os bairros de realojamento não tinham talvez as condições ideais(ainda assim não são más) mas não justificam os problemas existentes. Eu tb vivo num bloco de cimento em Lisboa junto a um bairro social e não é por isso que eu ou o meu filho vamos andar à margem da lei. Eles tiveram casa, escolas, saúde, grandes parques desportivos e grandes condições de trabalho como eu não tenho em Portugal. Estou a pagar a minha casa, tenho de pagar a educação do meu filho, a saúde, etc. Isso não justifica qualquer tipo de atitudes do género das que vimos em França. Estive muito tempo em Paris, quase como emigrante e deu para reparar que os problemas são outros...
E já agora, na minha terra quem pratica actos de vandalismo é mesmo "escumalha". Eles não fizeram nada para provar o contrário...

 
At 10:35 da manhã, Anonymous IO said...

Ok, mb, já não te falta dizer nada... agora, o estranho é que o próprio Villepin, e passo a citar, tenha dito que nos bairros sociais de onde é a 'escumalha' de Sarkozy e TUA, não haja:
“transportes, creches, terrenos desportivos, farmácias, dispensários, jardins”.
Venha o primeiro populista catar votos fáceis e sem dúvida tem adeptos por cá... - eu salto fora desta discussão, estou esclarecida. IO.

 
At 10:36 da tarde, Anonymous MB said...

Conheço muitos dos bairros e garanto-lhe que têm mais do que muitos bairros de luxo em Portugal. Atenção que não sou adepto do Sarkozy e condeno as declarações que fez. O que quiz dizer foi que após as polémicas declarações, os que se sentiram ofendidos apenas lhe deram razão...

 
At 12:08 da manhã, Anonymous IO said...

"têm mais do que muitos bairros de luxo em Portugal" - pois, imagino que sim...

Ok, mb, gostei de saber que, ao menos, não votaria em Sarkozi. Pronto, vamos lá acabar com o papo (com luz, já que é bom discutir) e deixo-lhe um abraço. Beijinhos à TT!!, uma que votaria em Segolène Royal, a quem deseja o Eliseu.

 

Enviar um comentário

<< Home