quinta-feira, maio 04, 2006

O corpo é que paga

Música de António Variações, cantada pelos Sitiados - O corpo é que paga

Powered by Castpost
Na sequência do "post" anterior, podemos assim dizer, e de uns que fui deixando, aqui e aqui, a pensar numa vida saudável e sem conflitos hoje vou falar sobre o vício do tabaco e da sua proibição que se generalizou nos Países ditos mais evoluídos.
Um vício caro, mau para a saúde. Porque será que para a maioria dos fumadores, apesar de saberem que o tabaco mata, por vezes são incapazes de lutar contra o vício?
O anteprojecto apresentado no início de Abril esteve em discussão pública até dia 19, e proíbe entre outros aspectos, o fumo em todos os locais públicos fechados e a venda a menores de 18 anos. Concordo.
Já fui fumadora e deixei de fumar por várias vezes. Só de uma das vezes a que me propus deixar de fumar é que não consegui. A última em Novembro de 2003, decidi que aquele era o último cigarro e foi mesmo. Conheço bastante gente que deseja deixar de fumar e não consegue. Já tentarm, os adesivos de nicotina, clínicas, pastilhas, rebuçados, agulhas, choques e nada o vício é maior e a vontade menor certamente. Outros , porém não querem sequer fazer um esforço ou pensar em deixar de fumar.
Todos sabemos que o tabaco faz mal, e faz igualmente mal a quem não fuma , mas respira esse ar.
Por uma questão de respeito tanto por uns como por outros, acho que se devia proibir de fumar em recintos fechados. Faz-me impressão, quando vou a concertos , sejam eles no Pavilhão Atlântico, sejam em pavilhões Multiusos ou mesmo salas de casinos que se fume , apesar de nas costas dos bilhetes estar expresso que é proibido fumar.
Lembro-me quando era mais nova ir ver em Moçambique jogar basquete, onde os Pavilhões enchiam e muita gente fumava. Nessa altura era normal. Era também normal não se usar os cintos de segurança nos carros, não eram obrigatórios. Não era obrigatório usar capacete nos motociclos. Mas a ciência evolui, fazem-se estudos, investigações, estatísticas, para se mudar o que está mal, para evoluir, para minimizar os riscos. Hoje em dia é impensável conduzir sem se colocar, antes até de pôr o carro a trabalhar, o cinto de segurança.
É impensável conduzir um motociclo sem capacete.
É impensável num Pavilhão cheio alguém acender um cigarro, enquanto se pratica desporto.
Na maioria das escolas existe uma sala para fumadores.
A criação desse espaço na minha escola deu guerra da feia. Os fumadores que são , em quase todos os casos a minoria, 4 ou 5 na minha escola num universo de 50 Professores, ficaram aborrecidos com o resto dos colegas e deixaram alguns mesmo de frequentar a sala de Professores, refugiando-se nessa sala sempre que não estão a dar aulas.
Ora como eu já disse é uma questão de respeito, não de descriminação, tanto pelos fumadores como pelos não fumadores. Porque é que os fumadores se sentem sempre discriminados e não percebem que os outros têm direito a respirar ar puro?
Em Espanha as campanhas são mais agressivas que as nossas, são mais exigentes que nós, e quando não se cumpre com a legislação em vigor, são penalizados. Nós por cá vamos dando uma no cravo outra na ferradura, apalpando a opinião pública, devagarinho para não magoar ninguém e, entretanto, descobrimos que o cancro do pulmão é contraído pelos fumadores passivos, muitos deles crianças, porque vivem e crescem junto de gente com brandos costumes.
Deixo-vos alguns cartazes de publicidade, Portugueses, outros Estrangeiros e este pequeno vídeo Espanhol cheio de humor de uma campanha publicitária contra o fumo em recintos fechados.


<"De sua justiça">

17 Comments:

At 8:31 da manhã, Blogger Pitucha said...

Não fumo, não gosto de fumo! Nadinha mesmo! É um vício horrível...
Beijos

 
At 9:19 da manhã, Blogger amigona said...

Olha que é uma ideia bem gira!!!! E se pegasse?

Só agora vi o teu post debaixo... fez-me lembrar quando a minha mãe fez quimioterapia, ficou carequinha e eu que tive sempre o cabelo comprido cortei-o muito, muito curtinho...

é outra forma de dar a mão...

beijo...

 
At 10:06 da manhã, Anonymous cristiana said...

é um bom tema a discutir. Eu sou fumadora "social", fumo a acompanhar um café ao fim de semana ou num bar. Mas estou disposta a abdicar de fumar em locais públicos, até porque nunca fui capaz de fumar junto de pessoas que estejam a comer, quando estão crianças presentes, etcc. Acho que é tudo uma questão de princípios e respeito pelo próximo...no entanto, há muitos por aí que respeito pelo próximo é mentira.
Vou contar uma situação que vi no outro dia: uma pessoa no centro comrcial, na zona de refeições pediu a outra para apagar o cigarro, porque estava a incomodar. A fumadora recusou-se dizendo que não havia nenhum sinal exposto proibindo de fumar e que não havia separação de zona de fumadores e não fumadores, portanto não iria apagar o cigarro. A pessoa, bastante incomodada com o cheiro, não consegiu terminar a refeição...Tirem as conclusões. Realmente há pessoas que civ
ismo e educação = zero!!! Como disse, também fumo, mas apeteceu-me espancar aquela mulher!!!

 
At 10:08 da manhã, Blogger 125_azul said...

A essencia é a tal história de os fumadores se sentirem discriminados...

 
At 10:47 da manhã, Blogger jawaa said...

Pois. Mas as pessoas inteligentes têm de compreender a situação actual sem que se sintam descriminados. É um vício que prejudica o próprio e os outros e é verdade que a nossa liberdade acaba quando começa a do vizinho...

 
At 12:33 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Fôgo, assim depressa saem ao pé de nós.

Paulo Costa

 
At 1:53 da tarde, Blogger a lice said...

Acho bem que se façam posts destes!

Eu não fumo, e acho que quem fuma deveria tentar arranjar outro vício, menos nocivo...

 
At 4:42 da tarde, Blogger jorgesteves said...

Por causa de um desvio, mais uma curva e, afinal um olhar mais curioso... vim até aqui!
E valeu a pena. Parabéns pelo seu trabalho e, se mo permitir, voltarei. Mas, claro, muitos maiores os parabéns por ter deixado o cigarro. Parabéns (e eu sei bem quanto o merece!...)
jorgesteves

 
At 5:51 da tarde, Blogger LUA DE LOBOS said...

rzatrftA autora Maria de São Pedro, a Papiro Editora e a Fnac têm o prazer de convidar V.Exas. a estarem presentes para o lançamento do livro GATO PEDRA no dia 19 de Maio, pelas 19.00h na Fnac - Cascais Shopping.

 
At 6:52 da tarde, Anonymous MB said...

Também não sou fumador e também a mim me incomoda muito o cheiro e o fumo do tabaco.
Também me custa a crer como é que em pleno século XXI ainda se permite fumar em locais fechados, em especial nos restaurantes. Actualmente um dos meus critérios de escolha de restaurantes é o de ter ou não zona de não fumadores... E é triste ter de ser eu a procurar um restaurante com zona de não fumadores em vês de serem os fumadores a terem problemas em procurar um restaurante com zona de fumadores. Mas enfim...
Já risquei da minha lista de locais de diversão e convívio muitos estabelecimentos que gosto só pela atmosfera que possuem.
Outro facto que também me incomoda bastante é a falta de civismo e educação dos fumadores. Fumam onde lhes apetece independentemente se estão a incomodar ou não. Casos como o do centro comercial da Cristiana acontecem frequentemente e é incrível como os fumadores não se tocam. Bom, se fosse no meu caso acho que lhe despejava um copo de água pela cabeça... Também não havia lá sinais que o impedissem... :-)

 
At 6:57 da tarde, Anonymous MB said...

Só uma curiosidade... Sabiam que fumava abundantemente dentro do Hospital I.P.O. em Lisboa até à bem pouco tempo(mês passado)? Inclusivé dentro de um dos refeitórios, onde almoçavam por dia dezenas de doentes oncológicos?
Parece anedota mas é verdade. Cheguei a ver doentes a almoçar ao lado de profissionais de saúde de cigarro na mão! Acreditem que é verdade!
[já agora desculpem o erro do post anterior... vês=>vez]

 
At 9:00 da tarde, Anonymous IO said...

Eu cá só fumo dakeles que não engravidam lol, beijo, IO.

 
At 9:36 da tarde, Blogger papoilasaltitante said...

Pois é minha amiga... como sabes vivo rodeada de fumadores. Não fumo e detesto o cheiro do fumo entranhado na roupa!!
O meu marido é um fumador inverterado mas não fuma em casa (aliás nunca fumou e é o primeiro a abrir portas e janelas se recebemos alguém em casa que fuma), não fuma em restaurantes e mantém esse principio. Como eu gostava que ele deixasse o tabaco, em primeiro lugar por causa da saúde e em segundo lugar por causa da saúde da nossa carteira...
Tu és das poucas que conseguiram levar a força até ao fim... mas tu és uma mulher de força miga!!!...Parabéns! Temos que continuar a insistir!!

 
At 10:40 da tarde, Blogger Cafe com Limao said...

locais fechados fora o tabaco... não faz sentido nenhum e ainda por cima ha pessoas que nao respeitam as outras. a mim nunca ou quase nunca me incomodaram com o fumo dos cigarros mas em locais fechados fica um pouco abafado. é uma moda na adolescencia que vira vicio. mas creio que em vez de andarem a proibir o tabaco poderiam aumentar o seu preço para o dobro.

 
At 10:45 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Eu, confesso, sou do "inimigo", mas não fundamentalista.
Concordo com as campanhas, mas por favor, não me persigam.
Bjs Lena

 
At 11:39 da tarde, Anonymous Dra.Daniela Mann said...

Palavras para quê? Tens toda a razão! E ao contrário da Lena, penso que há momentos na vida em que é preciso ser "fundamentalista", principalmente quando os argumentos estão tão bem fundamentados...
Parabéns pelo post
Dani

 
At 11:12 da manhã, Blogger Manoel das Couves said...

Neste momento em http://abanacao.blogspot.com estão disponíveis dois inquéritos que pretendem (de alguma forma) intervir na Consulta Pública sobre a proposta de Legislação antitabágica que o Governo apresentou. O que é também uma forma de participação cívica, para que outros não determinem autocraticamente aquilo que também nos diz respeito.

MFR

 

Enviar um comentário

<< Home