domingo, maio 14, 2006

Obviamente demitia-os!

Música - Never ending story

Powered by Castpost

Depois de se terem baldado a maioria dos deputados (depois queixam-se da produção) e da vergonha que foi, o alarido que deu e se justificam ou não justificam se a justificação é válida e de virem parar à comunicação social as justificações (só neste País) lá se juntaram todos para votarem o que estava agendado para antes da Páscoa.
Mas o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita, já diz o povo.
Os deputados cumpriram as votações que tinham ficado por fazer nessa semana por falta de quórum no Parlamento. Mas passaram mais de uma hora e meia a discutir a forma de resolver uma falha no sistema electrónico de votação.

Para que não se esqueça o que aconteceu, para que voltemos a acreditar na honestidade dos nossos governantes, para que seja reposta justiça neste País, deixo-vos este texto tirado daqui, e o apelo para que façamos uma corrente para que não caia no esquecimento.

Volto a insistir.
Não podemos ficar quietos, calados e deixar esquecer, o que se passou na sessão da Assembleia da República na sessão antes da Páscoa.
Como foi tornado público e não foi desmentido, houve uma fraude, de vinte e oito deputados, que assinaram o registo de presenças e não compareceram, em nenhum momento da sessão.

Isto significa que no dia anterior, assinaram a presença do dia seguinte. Estamos perante uma ilegalidade; a assinatura antecipada do livro de registo de presenças.

Mas, tudo indica que ao registarem uma presença antecipada, não o fizeram inocentemente, mas sim, com a intenção de ludibriar e manter os benefícios, de uma ausência prevista.

A ser verdade e não diviso outra explicação quanto a outro motivo, os deputados em causa, pretenderam enganar o Estado e receber todos os benefícios constituídos, através da mentira e da fraude, de uma presença/ausência.

À luz dos princípios da honestidade, da rectidão e confiança, que são devidos aos cidadãos e eleitores, não podemos aceitar esta tentativa de apropriação fraudulenta de benefícios que lhes é garantida, no exercício pleno das suas funções.

Este acto não pode desculpabilizar a debandada de outros deputados, mas não a gravidade desta atitude, só pode merecer o mais profundo repúdio e nojo.

Em nome dos altos valores da democracia os deputados em causa, deveriam ser demitidos dos seus partidos e se tivessem vergonha, deveriam solicitar a recusa do lugar de deputado.

Deixo aqui um apelo a toda a blogosfera: não deixem cair esta aldrabice, denunciem-na, façam-na circular, estabeleçam uma corrente de denúncia por todo o sítio. Exigimos acções e saber a lista dos nomes dos deputados que assinaram a presença e não puseram lá os pés.
"Entre os que faltaram à votação (79) - assinaram o livro de presença, mas não estiveram no hemiciclo até ao final da sessão - ou os que nem passaram pelo Parlamento (28) e aqueles que estiveram em Missão ao Estrangeiro (13), os serviços da Assembleia registaram a ausência de 120 parlamentares, menos dos que os 116 necessários para que possa existir deliberação. "(PD)

Depois disto tudo visitem este blogue e leiam isto.

<"De sua justiça">

15 Comments:

At 12:43 da tarde, Blogger Dae-su Oh said...

O problema é que cada vez aparecem piores, no meio de tanta demissão. Acho melhor deixar estes até ao fim.Mal por mal, vamos dar uma chance e mais pontes ;)

 
At 1:44 da tarde, Blogger viktor said...

Boa tarde,
Penso que os deputados em causa não se deviam demitir... Deveriam ser sujeitos a processo disciplinar com perca de mandato!
Porquê? Se se demitirem, poderão candidatar-se alegremente a novo lugar como funcionários isentos. A aplicação de uma sanção disciplinar implica uma referência no registo biográfico.
Bom Domingo.

 
At 2:30 da tarde, Blogger papoilasaltitante said...

Epah... pensando bem estou com o Viktor!!!
Também eu prometi divulgar este apelo no meu blog... lembraste-me agora que o devo fazer.
Beijocas

 
At 3:51 da tarde, Anonymous madalena said...

Obviamente! Beijinhos para ti, Teresa e bom domingo!

 
At 6:11 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Acho muito bem que não deixem cair no esquecimento este acontecimento (mais um) que, para além de ter sido uma vergonha só veio contribuir para aumentar o descrédito do nosso Parlamento e dos nossos deputados.
Bjs Lena

 
At 6:53 da tarde, Anonymous Ni said...

Concordo com o Viktor,esses senhores só têm privilégios e fazem o que querem.

 
At 7:34 da tarde, Blogger Caracolinha said...

Mulher, eu já entrei naquela fase do nem sequer conseguir falar sobre estes priviligiados de m**** !!!!

Até me dá engulhos ouvir coisas do tipo "a palavra de um deputado" faz fé ... pois claro, a deles faz, a nossa não ... eles podem tudo, tudo lhes é perdoado, fazem aquelas fitas e sessões de risinhos provocatórios, como se fossem putos da escola primária a zombarem quando os outros falam e nós ... nós vemo-los a encherem-se cada vez mais de privilégios á conta do dinheiro que todos descontamos para sustentar esta cambada de incompetentes que só sabem é, quando estão no poder não fazer a ponta dum chavelho e, quando passam para a oposição, ter lapsos de memória e agirem como se nunca tivessem tido responsabilidades de governação ... eh pá, se queres que te diga, tudo isto já me mete um nojo enorme e tudo aquilo que roubam, todos os clientelismos, toda a corrupção, todos os casos denunciados, com mais ou menos tempo, acabam por cair em saco roto ... é a velha máxima ... faz o que eu digo, não faças o que eu faço ...

Beijocas engulhadas e fartas da trampa da politiquice ... !!!!

 
At 10:00 da tarde, Blogger Armando S. Sousa said...

Não resta a mínima dúvida, que esta corja que tanta influência têm na nossa vida, deve obrigatoriamente, como qualquer cidadão, cumprir a lei.
Qualquer cidadão, pode ser despedido por justa causa, por manipular o relógio de ponto, lei aprovada pela Assembleia da República, logo, a única coisa que se pretende, é que a lei seja igual para todos.
Um abraço e boa semana.

 
At 10:22 da tarde, Blogger 125_azul said...

Mete nojo aos cães! Impunidade de gente que se sente acima dos outros e os outros, que somos nós, a sustentar a bandalheira, que giro!

 
At 11:07 da tarde, Anonymous Dra.Daniela Mann said...

Também estou com o Victor! Este país vai de mal a pior!
Olha que o teu blog está um show! Cada dia mais espectacular, parabéns!
Beijinhos

 
At 11:27 da tarde, Blogger Mocho Falante said...

olha nem sei o que dizer mais sobre a nossa classe politica, cada vez mais vergonhosa e desacreditada

beijocas

 
At 12:28 da manhã, Blogger a lice said...

Apoiado!
Somos nós que lhes pagamos o salário, pelo que a situação tem que mudar e os cidadãos devem ser informados!

Beijinhos.

 
At 12:31 da manhã, Blogger jawaa said...

Na verdade, não é admissível que isso tenha acontecido; se for um professor a assinar o livro de ponto na véspera, não dando a aula, e provando-se que o fez deliberadamente, tem decerto um processo disciplinar em cima. Por que não um deputado?

 
At 2:02 da manhã, Anonymous IO said...

Excelente título para homenagear quem, como eu, nasceu a 15 de Maio: Humberto Delgado - e hoje não gasto uma letra a falar de medíocres. Viva o centenário do nascimento do General sem Medo!!, beijo para ti, IO.

 
At 9:12 da manhã, Blogger francis said...

Sem mais comentários. Só neste país!... e 28 assinaram o livro de Presenças, mesmo faltando, o que revela intenção de enganar.
Enfim, temos o que merecemos.

 

Enviar um comentário

<< Home