quarta-feira, junho 14, 2006

Greve





Hoje não estou em greve! Não concordo com a marcação deste dia para a greve por todos os motivos já conhecidos.
Estou triste. Continuo de atestado médico, infelizmente. O médico proibiu-me de conduzir e amanhã começo a fisioterapia. Nem me apetece falar muito nisto, desculpem.

Eu até concordo com algumas medidas que a Sra. Ministra quer implementar, agora continuo indignada e magoada com as palavras que disse em relação aos Professores tendo-nos metido todos no mesmo saco.

Mas hoje o meus "post" é dedicado à Milu (Ministra da Educação).

Um dia Mª de Lurdes Rodrigues morreu. (Se se quiser divertir clique no nome da Ministra e aguarde)
O conselho de ministros reuniu-se para decidir onde seria
enterrada.
Um ministro sugeriu:
- Deve ser enterrada em Lisboa. Afinal, é a terra natal dela.
Então um bêbado, que não se sabe como, entrou na reunião, disse com
aquela entoação típica dos ébrios:
- Em Lisboa pode... Só não pode em Jerusalém!!!
Como estava naquele estado, ninguém lhe deu atenção. Um segundo ministro
disse:
- Acho que deve ser em Cascais, onde viveu.
O bêbado mais uma vez interveio:
- Em Cascais pode... Só não pode em Jerusalém!!!
Novamente, ninguém lhe deu ouvidos. Um terceiro ministro finalmente sugeriu:
- Em Cascais, não.
Deve ser enterrada em Lisboa, pois era a Ministra da Educação e todos os
ministros devem ser enterrados na Capital. E o bêbado
novamente:
- Em Lisboa pode... Só não pode em Jerusalém!!!
Aí, perderam a paciência com o impertinente:
- Porquê esse medo de Maria de Lurdes Rodrigues ser enterrada em Jerusalém?
E o bêbado respondeu:
- Porque uma vez enterraram lá um tipo e ele RESSUSCITOU!!!

SORRIA ESTÁ A SER AVALIADO!!!

<"De sua justiça">

15 Comments:

At 12:47 da manhã, Blogger papoilasaltitante said...

Eu vou fazer a greve, mas vou estar na escola!!! O dia todo de trabalho, para que os pais saibam que não estou a fazer greve para me baldar. Como tu não concordo com os moldes em que esta greve foi convocada, mas encontrei uma outra forma de demonstrar o meu desagrado, pela forma como a ministra tem metido no mesmo saco toda a gente sem recorrer a critérios! Como sabes desde o primeiro dia que afirmo que sou a favor da avaliação dos professores, há muito no projecto com o qual concordo. Não posso é concordar que eu seja avaliada pelo abandono escolar dos meus alunos.Por exemplo tenho um aluno que desde o inicio do ano falta quase todos os dias, estou cansada de dizer aos pais, de contactar as entidades que podem agir... e ele continua!! Como pode ser ???
Temos que agir contra os incompetentes, agir contra os baldas, deixar de ser corporativistas no mau sentido, mas temos que nos fazer respeitar! Por isso é que eu vou fazer a greve...mas vou ficar na escola!!!
Beijos

 
At 2:17 da manhã, Anonymous IO said...

Pois é, mas como os portugueses, também os governantes só são patriotas durante os campeonatos da bola, logo, infelizmente, estão-se nas tintas para o teu 'a Educação é a nossa selecção' - e até o parolo do Cavaco (pró-asfalto) já veio dizer na tv 'deixem a ministra trabalhar'...

Beijinhos, aguenta o raio do pé com calma, que doze dias não é nada na vida de uma mulher com força como tu, IO.

 
At 9:25 da manhã, Anonymous cristiana said...

tá demais a anedota:)
como já disse no blog da papoila, quem devia ser avaliado são os encarregados de educação, isso sim!!

 
At 9:44 da manhã, Blogger Ana Luar said...

Eu não concordo de todo com os metodos de avaliação... mas tb não acho que os pais devam ser avaliados... pk se existem pais ausentes tb existem professores que são uma nulidade.
Assim entre uns e outros venha o diabo e escolha.
A perfeição é utopia... e nunca devemos exigir o que nós não conseguimos dar... sejamos coerentes por favor!
Gostei da anedota.....rsrsrrs
Quanto a ti desejo as melhoras... e que estes dias passem depressa para que te coloques operacional.... beijos eternos de carinho!

 
At 10:13 da manhã, Blogger Cherry Blossom Girl said...

Vais melhorar logo vais ver. Também com este tempinho sabe bem é estar em casa:)
Beijinho e as melhoras***

 
At 2:37 da tarde, Blogger boleia said...

oh minha querida, as melhoras! e anima-te que quem sabe sabe, quem nao sabe diz disparates!

 
At 3:46 da tarde, Blogger Mocho Falante said...

olá viva. Então tás com doi doi???

espero que não seja nada de grave.

Tá linda a anedota rsrsrsrsrs

beijocas e as melhoras

 
At 4:59 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Ahahahahahah! Está porreira e vem mesmo a calhar esta anedota.Mas ainda gostei mais do cartaz com que terminas o post.
Bjs e força para aguentares mais estes 12 dias de repouso forçado. Lena

 
At 8:34 da tarde, Anonymous Daniela Mann said...

Com tantas faltas não progrides na carreira!!! O melhor é faltares à fisioterapia e ires ao pé cochinho dar aulas de Educação Física!
A anedota tá boa!
As melhoras amiga e coragem!

 
At 9:34 da tarde, Blogger Carlota said...

Tss, tss, tss...
Vamos lá a animar, stôra!
Não inventas nada com que te entretenhas e distraias?
Não queres fazer umas capinhas de livros como as minhas?... :)
Ou contar mais umas boas anedotas?
Beijola.

 
At 9:40 da tarde, Blogger 125_azul said...

Não apresses o rio, ele corre sozinho! Agora recuperas devagarinho do dodói, tomas chá, comes scones; é tempo de esperar chegar o tempo de actuar e de ver passar o tempo para a Sôdona Milu ir pregar para outra freguesia. Então, será outra vez tempo de fazeres o que fazes bem: transmitir afecto em forma de conhecimentos aos teus garotos. Porque assim é que é certo! Beijinhos e muitos miminhos

 
At 11:16 da tarde, Blogger viktor said...

Boa noite,
Penso que nunca houve tantas anedotas dedicadas a um ministro da educação :))
Não fiz greve. Uma das razões é simples, a marcação de uma greve entre dois feriados (o S.António é feriado por esse país fora) acabou por dar razão aqueles que criticam os professores. Para alguns, foi um sistema para obter umas mini-férias...

Em resposta a Cavaco apenas digo:
Deixei-nos trabalhar... sem os constantes insultos da ministra.
Deixei-nos trabalhar... sem alterações constantes à legislação.
Deixei-nos trabalhar... sem violência nas escolas.
Deixei-nos trabalhar!

 
At 10:26 da manhã, Blogger Su said...

neste momento, desejo.te melhoras e bem rápidas...
jocas maradas

 
At 12:19 da tarde, Anonymous Anónimo said...

E agora, para gáudio de alguns, poucos, e a pedido de uma ou duas famílias divulgaremos aqui a frase que, durante este dia de greve de professores, mais se ouviu da boca dos colegas que não quiseram fazer greve. Uma boa parte deles nunca fez greve na vida:

"Não faço greve porque a escolha do dia 14, imediatamente antes de um feriado, ainda reforça mais as injustas acusações da ministra, segundo a qual aquilo que os professores querem é não trabalhar."

Fomos saber se isto é mesmo como tantos dizem e responderam-nos assim:

"São necessários 10 dias úteis para meter o Pré-aviso de greve. Depois de receber a proposta do ME, o Secretariado Nacional reuniu, de emergência, no dia 1 de Junho e, por isso, a convocação da greve só poderia ser feita para os dias: 13, 14 e 16 ou, na semana seguinte, de 19 a 23.

A 19 iniciam-se os exames nacionais e considerou-se que não havendo ainda uma decisão judicial sobre a questão dos serviços mínimos, não podíamos arriscar a que se repetisse o que aconteceu no ano passado.

As possibilidades eram então 14 e 16, porque 13 é feriado em Lisboa e em mais alguns municípios (14 em 132). Dia 16 era ponte para todo o país e foi excluído para evitar acusações de oportunismo, 14 era o único dia possível e é um dia que nos possibilita realizar uma grande Manifestação Nacional, já que uma Manifestação em Lisboa implica a deslocação de colegas que vão de muito longe (Minho, Trás-os-Montes) que chegam a casa de madrugada e que têm que poder descansar no dia seguinte - por isso é que as Manifestações se realizam habitualmente à 6ª feira."

Vá lá. De agora em diante, façam lá um esforço para que os vossos alibis de estimação tenham ao menos pernas para andar.

 
At 11:33 da tarde, Blogger viktor said...

Anónimo,
Segundo o site da Associação Nacional de Municípios Portugueses, Portugal tem 308 municípios e não 132.
Apesar de dia 13 só ser feriado em apenas 4,5% do território nacional, a imagem veiculada pelas televisões e pelos jornais foi que os professores são um bando de malandros que aproveitaram a greve para fazer umas mini-férias. Para as televisões todos são de Lisboa...

O argumento acima apresentado possui um problema de lógica. Ora vejamos:

1. Por um lado, diz-se que não se marcou a greve para dia 13 (data possível, cumprindo os 10 dias de pré-aviso) pois era feriado em Lisboa. Logo, Lisboa mais os outros concelhos (os tais 4,5% do total) eram suficientemente importantes.

2. Por outro, diz-se que o feriado é só em Lisboa e em mais alguns locais e que assim, o efeito mini-férias era limitado a uma área geográfica muito reduzida. Logo Lisboa não era suficientemente importante.

Em que é que ficamos, Lisboa é ou não representativa?

 

Enviar um comentário

<< Home